terça-feira, 16 de março de 2010

Simples assim ♥



“Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores... mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos.”

Vinícius de Moraes

É uma caixinha cheia de brilho, uma caixinha com amor, afeto, compreensão, surpresas... huummm.... Surpresas?

...

Não, a minha festa de 18 anos não foi nada surpresa (como todos os anos), porque afinal, depois de 17 festas “surpresas” fica meio difícil não adivinhar qual será a próxima né?

Na verdade, ultimamente nada mais me surpreendia, não que não tivesse graça, não que eu não guardasse com um afeição abissal cada presente, ou gesto de carinho , mas era como se todos os anos fossem sempre os mesmos.

Mas esse ano,foi digno da maioridade... foi digno de um “MUITO OBRIGADA” com magnitude e esplendor (se eu assim for capaz de demonstrar lhes).

Lembra da chuva de gargalhada com os poucos amigos?

Lembra do elo perdido entre a bolha e o mundo?

Eu me lembro...

Foi quando me foi dado de presente os irmãos sem laços de sangue..

Estou à frente do tempo, à frente dos empecilhos da vida que talvez um dia deseje nos afastar e colocar entre nós corações frios, distantes e desmemoriados.

Ontem eu estive sozinha

Hoje eu quero mais é estar com vocês

Amanhã eu quero mais é sofrer com vocês

Infinitamente agradecer-lhes pelas noites à fio em que passaram estendendo suas mãos, oferecendo muito mais do que às vezes eu seria capaz de retribuir.

Ontem me deitei pensando no quanto a minha estrada era vazia, era monocromática e sem vida...

Acordei sorrindo ao olhar para os lados e vê-los segurando as minhas mãos e dizendo “Vamos... porque nós iremos com você”.

Se eu dissesse a cada amigo, todas as suas peculiaridades e particularidade que me fazem a cada dia mais apaixonada por ele, talvez eu demorasse toda a eternidade para fazê-lo.

Não desejo de vocês a perfeição, jamais exigirei de vocês a presença constante, porque eu sei e simplesmente sei que estarão lá quando forem necessários.

Eu deixei de ser apenas eu e comecei e pensar em um “nós”, tive certeza... “Será sempre nós”.

Todos os projetos, os ensaios de apenas duas músicas, todos o micos , todos os risos e sorrisos, todas as lágrimas, as confidências, todos os programas de índios em dias de chuva, e as longas caminhadas debaixo de um sol assassino, as frases repetidas (“Desculpa, eu sou de Atibaia”), das visões estranhas, (“Não sei... mas você tá parecendo uma joaninha hoje...”), dos surtos de ciúmes e mal criações (...eu acho que já vi alguém quase se jogar no chão da minha cozinha um dia desses...).

Em fim... todas as bobeiras e dos absurdos que, por mais que sejam divertidos...

...Só vai ter graça se eu tiver vocês.


5 comentários:

  1. "nós não fazemos amigos , nós os reconhecemos"
    Juh, eu acho que tem coisas que não fazem sentido. Sabe do tipo, jogar futebol sem a bola, olhar para o céu e não ver a grandeza soberana de Deus, comer um x salada sem a salada (hum me deu fome), e uma delas é ser feliz sem ter você por perto, ou ser feliz e não te conhecer, porque são coisas que te seguem, do tipo eu não posso tocar violão sem cordas do mesmo jeito eu não posso dar risada estando triste ou mesmo ter amigos e não ter você.
    Você pediu para eu colocar uma critica, a critica é que não há criticas. Porque isso não é algo superficial mais é algo intenso, abissal, algo tão profundo quanto se pode imaginar. É algo do tipo que você vai contar para os seus netos.
    Bom não vou deixar outro texto, rs, mas vou deixar marcado aqui, que a minha vida nunca mais foi a mesma quando eu disse: Oi Juliana, muito prazer, eu sou o Denis tudo bem com você?rsrsrs
    Amei o texto do blog, amei ter te conhecido. Amei muito mais ter te acordado às 8 da manhã... LALALA
    Bom Deus te abençoe.
    E sobre o tamanho do comentário que eu deixei, desculpe eu sou de Atibaia.
    Bjus.

    ResponderExcluir
  2. as frases repetidas (“Desculpa, eu sou de Atibaia”) = Denis

    das visões estranhas, (“Não sei... mas você tá parecendo uma joaninha hoje...”) = Dri

    dos surtos de ciúmes e mal criações (...eu acho que já vi alguém quase se jogar no chão da minha cozinha um dia desses...) = Dani


    kkkk

    JuH te amo JOANINHAA

    ResponderExcluir
  3. [aa] o chão definidamente me atrai!!!

    ResponderExcluir
  4. me surpreendo ao pensar que tudo isso começou com uma ida "inocente" à um certo trailer de lanches .. hauhauhuha ..


    eu nao tava na festinha mas t amo do memo jeito ..

    Bjaum

    ResponderExcluir
  5. "Todos os projetos, os ensaios de apenas duas músicas, todos o micos , todos os risos e sorrisos, todas as lágrimas, as confidências, todos os programas de índios em dias de chuva, e as longas caminhadas debaixo de um sol assassino"


    que saudade disso ♥

    ResponderExcluir