quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Empty


“Sinto uma dor terrível dentro de mim que não consigo expressar (...)
É cruel que você consiga chorar e eu não...” – O Homem Bicentenário

É um perdão mal perdoado, um amor mal resolvido, uma amizade em decadência e um coração em desalinho.
São seus medos te abraçando, suas iras te consumindo, seus amores te deixando e sua alma se esfriando.
É esse o ponto de partida e chegada, sem saber se está no fim ou apenas começando, sem saber para onde ir ou o que deve procurar, recuperar os sonhos esquecidos e as lágrimas mortas pelos ressentimentos e rancores.
É quando o espelho já não te serve de reflexo e a pergunta “quem sou eu?” se torna o zero absoluto, a incógnita que leva o seu sono e torna os seus dias vazios.
Procurar sua verdadeira identidade, diluir sua interna frustração e fazer brotar uma razão plausível para continuar vivendo, desfrutando dos encantos sublimes e nobres desta terra.
 É viver sempre na busca, mas nunca no encontro, sempre correndo, mas nunca alcançando, sempre perguntando e nunca tendo uma resposta, escrevendo, mas nunca terminando.
Viver de ilusões, pensamentos e sentimentos, mas onde tudo não passa de um enorme peso, que oscila entre o vazio e um turbilhão de pesadelos, sensações e desvarios.
E esses, são apenas tópicos, reticências do meu estado de “ser e sentir”.... não é nada além de vazio.



domingo, 31 de julho de 2011

Verdade



Não sinto falta de nada, raramente sinto saudades de pessoas no geral, me desfaço de memórias, anulo  juras e meu sorriso está na perfeição utópica da vida.
Esse é a hora em que estou exposta ao que sou de verdade (pelo menos quando se trata das partes ruins, já que agora, não enxergo nada bom em mim), é quando revejo em um flash do tapa que recebi ao ouvir  “Você descarta pessoas Juliana, e faz isso com uma desenvoltura e frieza que jamais vi em alguém”.
Não sei se isso é algo tão ruim quanto soa.
Para mim, o que é sólido não passa com o vento e não desaba na primeira tempestade.
Minha aversão a pessoas e as chatices do convívio social nunca foi exatamente um segredo, apesar de quase sempre me encontrar fingindo simpatia desvelada, sorrisos amarelos, e acreditem isso não é nada fácil para mim, mas o faço, se não por mim, ao menos, pelo que gostaria de ser.
Não se engane, meu coração ainda bate, não existe tanto gelo em minha alma para que meus desejos  molestem outros corações. Eu apenas quero um bom silêncio não-incômodo, um dia sem baile de máscaras, danças de mentiras e gestos calculados.
Uma sociopata com coração, uma versão de saia de Charles Bukowski , escritora mediana perdida entre sonhos, ilusões e pesadelos..

quarta-feira, 6 de julho de 2011

"But since u been gone, i can breathe for the first time!"




"You had your chance, you blew it
Out of sight, out of mind
Shut your mouth, I just can't take it
Again and again and again and again"

domingo, 29 de maio de 2011

Decepção


É quando você revive um pesadelo passado...
Um Déjà vu da desesperança sofrida... mais uma decepção.

Para conhecermos os amigos é necessário passar pelo sucesso e pela desgraça. No sucesso, verificamos a quantidade e, na desgraça, a qualidade.
Confúcio

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Pai

Eu não sei como começar este post...
Não sei como abrir os olhos esta manhã.
O céu realmente está nublado, a cabeça está cheia e um misto de frustração e impotência pesam sobre o meu corpo.
Eu sei, já faz tantos anos mas ainda posso ver o dia que você se foi, posso ver os flashes da lembrança de uma infância que durou tão pouco.
Me sinto patética ao despejar toda falta que você me fez, toda saudade que me abateu, todas as consequências que isso me trouxe.
Nos dias das dores de ouvido, você não esteve lá.
Na saída da escola você não esteve lá.
Nos momentos das escolhas erradas, quando eu precisei de conselhos ou até mesmo de uma bronca , não foi você que o fez.
Na minha formatura, você não estava lá.
No homenagem ao dia dos pais, não foi pra você que eu cantei... (eu nem sei pra quem raios, eu cantei aquela droga de música).
Quando eu caí, você não me levantou.
Quando eu chorei por medo do escuro, não foi você que me abraçou.
Você não me ensinou a andar de bicicleta, não me fez gostar de matemática, não me deu livros como inspiração para vida, não me deu a mão.
Tudo isso é denso demais, foi abafado demais, por tempo demais. E nesse momento, onde minha fragilidade está estampada em minhas palavras, meu rosto e gestos, nesse exato momento onde o seu lugar se faria necessário, mais uma vez você não está aqui.
No meio de toda essa frustração eu tento olhar pra trás, juntar os cacos desse destino que nunca esteve em minhas mãos e fazer dele uma nova lembrança, sem mágoas, sem raiva, porque durante esse percurso frustrante que pareceu vazio, eu encontrei amor, encontrei abrigo, encontrei consolo em meio à dor e o medo, quem me ensinou o valor da vida, me disciplinou no momento certo, um alguém pra quem eu canto, com a certeza de não ser esse amor limitado, finito, ausente, displicente... Deus! E aqueles que Ele enviou à mim como um presente perfeito e prova do seu grande amor por mim: mãe, irmãs, tias , amigos... em fim, FAMÍLIA!

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Me Refaz


Me Refaz - Diante do trono





---- Eu sou aquela menina. Eu acreditei que o amor daquele homem era verdadeiro.
Aos poucos ele me afastou dos meus amigos, da minha família e eu pensava que eles não gostavam do nosso relacionamento, porque não queriam a minha felicidade. E eu entreguei a ele tudo o que eu tinha de mais precioso, até o dia em que eu descobri que eu não era o grande amor da vida dele.
Eu era apenas uma de mais TRÊS.

Teu amor me desfaz
Teu amor me refaz
Quebra tudo e faz de novo
E de novo Teu amor me desfaz…

---- Eu sou aquele menino. Eu cresci sem referencial de pai.
Ah, como me fez falta um ombro amigo! Alguém importante que pudesse me ensinar aonde ir, o que fazer... Alguém que estivesse ali por mim.
Eu me senti abandonado. Rejeitado. Sem chão,
Sem valor.

Teu amor me desfaz
Teu amor me refaz
Quebra tudo e faz de novo
E de novo Teu amor me desfaz…

---- Por quê? Por que comigo?
Eu era tão pequena. Por que ele me tocou assim?
Eu me senti tão suja. Tão desprezível, indigna. Tão usada.
Ó, Deus! Onde o Senhor estava quando aquilo acontecia comigo?

Teu amor me desfaz
Teu amor me refaz
Quebra tudo e faz de novo
E de novo Teu amor me desfaz…

---- Eu sou aquela mulher. Eu me lembro o dia em que o médico me disse: "Você tem apenas três meses de vida."
E agora? Meus sonhos? Tudo o que eu construí?
O que eu fiz pra merecer tudo isso?

Teu amor me desfaz
Teu amor me refaz
Quebra tudo e faz de novo
E de novo Teu amor me desfaz…

---- Eu sou aquele homem muito religioso. Para mim tudo tinha que estar perfeito. Na minha casa, todos tinham que andar na linha.
Eu era muito rígido comigo mesmo e principalmente com os outros.
Até que um dia... eu caí...

Teu amor me desfaz
Teu amor me refaz
Quebra tudo e faz de novo
E de novo Teu amor me desfaz…

---- Deus!
---- Onde você está? O Senhor está me ouvindo?
---- O Senhor está me ouvindo? 
Será que o Senhor pode me restaurar? Pode pegar os cacos da minha vida e me fazer de novo?
---- Eu me arrependo Senhor.
 ----Perdão, Senhor!
     Perdão!
---- Será que o Senhor pode ser o meu pai? Eu preciso tanto de  colo...

----- Cura-me Senhor!
----- Me ajuda Pai.
---- Cura-me!
---- Será que o Senhor pode me tocar e lavar o meu coração? Curar minha emoções e me restaurar completamente? Eu me rendo a Ti, Senhor.

terça-feira, 29 de março de 2011

Não foi amor

"Não foi amor
Foram apenas dois corpos suados
Abraçados
Beijos molhados
Sussurros ao pé do ouvido
Gemidos
Encontros marcados
Não foi amor
Foram apenas poucas noites estreladas
Mãos dadas
Brincadeiras displicentes
Desejos inconseqüentes
Gritos
Verdades que mentem
Não foi amor
Foi apenas um fogo
Que cedo se apagou"

sexta-feira, 25 de março de 2011

Sonho, esperança e fé!



Porque depois de algumas quedas você começa a perder a força.
Depois de algumas decepções você não confia mais.
Depois de algum tempo você não enxerga mais os bons passos que te trouxeram até aqui, a visão se embaça e o alvo parece mais distante do que no início da jornada.
Mas vamos lá, existe um motivo, existe uma razão pra não perder a calma e ganhar com as quedas, com o tempo que insiste em passar a parece levar com ele sua paz a trazer o desespero. Mas o tempo é mais do que isso. Ele te traz experiência e também é capaz de levar com ele as lágrimas das feridas mais profundas ...
Cave dentro de você uma fé inabalável, uma esperança no futuro e os pés nos chão para continuar.
Quando olhar para trás terá consigo uma bagagem com um grande tesouro e é daí que virá toda inspiração e um sorriso de gratidão por todo sangue e suor.
O que importa é escalada!